1 de jul de 2012

Bonsai


O Bonsai é a antiga arte de revelar e honrar a natureza, cultivando-a em miniatura. Diferente de modelos de trens ou casas de boneca, o bonsai é uma paisagem viva. É a visão do bonsaísta aplicada a uma árvore, arbusto ou planta.

Em japonês, bonsai significa literalmente uma planta em uma bandeja. Isso descreve a complexa relação entre o bonsai e o seu recipiente, porque o recipiente correto contribui para a harmonia visual que o bonsaísta tenta criar. O bonsai capta o verdadeiro espírito e a natureza da árvore dentro de um vaso raso.
Um bonsai é cultivado e criado por meio de podas e ajustes cuidadosos para recriar a essência de florestas, prados ou qualquer outra paisagem natural.

A princípio, isso parece uma imitação da natureza porque envolve ajustes com arames, corte drástico da raiz e podas regulares, mas a beleza do bonsai é que ele é natural. A verdadeira árvore do prado ou o arbusto da floresta são esculpidos para destacar suas qualidades excepcionais. O bonsai mistura arte e horticultura de tal maneira que se torna um passatempo a satisfazer tanto um iniciante quanto um experiente. Ele tem facetas que atraem os artistas dedicados, naturalistas e amantes de plantas, e explorar as várias facetas do bonsai pode se tornar uma paixão para toda a vida.


~História do Bonsai
É provável que o bonsai tenha se originado na China, onde foi chamado primeiramente de pun-sai (planta de bandeja). As pinturas em tumbas chinesas da dinastia Tang mostram árvores em vasos rasos, e podemos deduzir que a arte de esculpir plantas como o bonsai existe, no mínimo, desde essa época. Alguns especulam que as suas raízes na China datam de 206 a.C. e ainda sobrevivem hoje.

Da China, o bonsai migrou para o Japão, provavelmente por meio do comércio ou como uma troca de presentes culturais, sendo que no século 18 se consagrou como uma forma de arte. Os japoneses refinaram e aperfeiçoaram o bonsai, desenvolvendo muitos dos princípios estéticos que são observados hoje. Eles também apresentaram espécies de sua arte singular para o ocidente no início do século 20.


~Estilos de Bonsai
O objetivo do bonsai é criar uma espécie agradável e que reflita ao máximo a natureza. Pode ser uma visão idealizada da natureza, ou a visão de uma árvore mais envelhecida, castigada pelo clima e que sobreviveu por muitos anos. Na hora de estilizar um bonsai, a escala é importante, assim como a perspectiva e a simetria. Estilos diferentes de bonsai podem representar árvores grandiosas e eretas, árvores contra o vento, árvores com troncos ramificados e outras que podem ser agrupadas para criar um cenário de uma floresta ou bosque. Cada arranjo é combinado com um vaso de bonsai correspondente, que irá complementar o modelo. Os estilos consagrados de bonsai apresentados a seguir têm aparências bem diferentes.

Ereto (Chokkan) é um estilo formal de bonsai que incorpora um formato triangular equilibrado de forma clássica, um único tronco reto e os galhos dispostos em três.


Moyogi é um formato ereto menos formal que ainda apresenta uma silhueta relativamente reta, mas pode ter um tronco e galhos mais sinuosos.


Inclinado (Shakan, Fukinagashi) é um estilo de bonsai caracterizado pelo tronco inclinado, que cresce formando um ângulo de 45 graus com a base da árvore. Os ramos acompanham o ângulo do tronco, sendo que o primeiro ramo para compensação se sobressai na direção oposta no estilo Shagan.


Cascata (Han-Kengai, Kengai) é um estilo de bonsai que geralmente parece com uma árvore solitária que se agarra à face de um penhasco e é castigada pelo vento. A aparência do cipestre solitário é dramática, e mostra o grande valor do vaso apropriado no bonsai. O bonsai em cascata exige um vaso mais fundo, para compensar o desequilíbrio inerente de peso neste formato. Esse formato pode ser extremo, com as folhagens ultrapassando a borda do vaso (Kengai), ou modificado para se inclinar paralelamente à borda (Han-Kengai), como uma árvore que se estende parcialmente sobre o lado de um penhasco.


Literati (Bunjin, Bunjingi) é um estilo de bonsai caracterizado pelo foco na perspectiva. Imagine uma árvore no topo de uma montanha e vista de baixo. O tronco longo e fino, e a folhagem escassa no topo do estilo literati recriam essa visão de distância. A noção de altura também é enfatizada por meio do uso de um vaso pequeno e oval, ou redondo.


Vassoura (Hokidachi) é um estilo que cria a simetria e o equilíbrio de uma folhagem em meia lua que sai de um único tronco reto.


Planta sobre pedra (Sekijoju, Ishitsuki) é um estilo que usa as raízes retorcidas de alguns tipos de árvores como elementos do formato, ajustando-as sobre ou ao redor de pedras como parte de uma estrutura visual e irregular que fica exposta.


Multiformato (Sokan, Kabudachi, Ikada, Yose-ue) é um conjunto de técnicas de cultivo que criam uma ilusão de várias árvores que saem de uma única raiz, ou apresenta mais de uma árvore no mesmo vaso. O resultado é uma floresta ou clareira criada em miniatura.


~Cultivo de Bonsai

Para que seja possível manter um bonsai é necessário manipular as suas partes. Algumas vezes essa manipulação é feita para manter a árvore pequena, outras vezes para criar a ilusão de uma árvore muito maior e mais envelhecida, ou até mesmo uma árvore com um estilo diferente. É aqui que o talento artístico entra em ação.

Quase todas as árvores, arbustos ou plantas podem ser usadas para o bonsai, mas as melhores opções são as árvores e arbustos que têm folhas ou acículas pequenas e que são naturalmente densas ou compactas. Folhas pequenas, um hábitat denso e hastes de madeira ajudam a manter a ilusão de escala, ao passo que as plantas de florestas temperadas são as mais fáceis de cultivar.

O processo de refinar a estrutura da árvore começa pelas raízes. Manter uma parte da raiz visível na linha do solo ou acima dela ajuda a criar a ilusão de idade e desgaste, e é uma característica desejável no bonsai. As raízes expostas e o tronco se unem para produzir uma composição interessante. O tronco pode ser reto ou retorcido, o que cria uma característica específica e chama a atenção para os seus traços interessantes, mas ele sempre deve se afunilar em direção ao topo. O formato do tronco de um bonsai pode ser controlado por meio de enxerto ou aramagem, e quando é jovem, pode ser modificado para influenciar a estrutura da árvore.

O bonsai é estruturado com base no ponto focal e a parte da frente é diferente da traseira. A melhor maneira de se observar um bonsai é geralmente no nível dos olhos.

O ajuste é uma das tarefas fundamentais no cultivo do bonsai. Começando com uma visão da árvore finalizada, o bonsaísta inicia a longa tarefa de ajustá-la, alterando os galhos com cuidado. No bonsai, os galhos de uma árvore proporcionam simetria ao todo e são manipulados por meio de aramagem e poda para se igualar à versão original, tanto em escala quanto em proporção.

Esse processo pode levar muitos anos, e no caso de algumas árvores decíduas, é necessária a remoção de toda a folhagem de tempos em tempos. Os arames podem ser mantidos no local por um ano e são removidos com cuidado antes que marquem ou machuquem os galhos em crescimento. Os bonsai sempre devem ser equilibrados e harmoniosos. Nenhum galho deve obstruir o outro por completo. O objetivo é moldar uma árvore em que cada galho contribua para o todo, sem nunca esconder outro galho. Nesse método, o formato do galho, a estrutura da raiz e do tronco, e a cor e formato da folhagem criam um todo harmonioso.

Observar quaisquer mudanças na planta faz parte do cultivo de um bonsai. Pequenas mudanças podem ser um sinal de problemas que precisam de atenção. Pestes e doenças podem atacar o bonsai assim como acontece com outras plantas na natureza. A boa notícia é que o bonsai é resistente e geralmente consegue se recuperar de infestações.





0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...