17 de fev de 2011

Katana - A espada perfeita


No século 14 um ferreiro chamado Masamune desenvolveu uma técnica de fabricação de estruturas duras e flexíveis de aço para ser usada em espadas. Surgia a poderosa katana, a espada Samurai, considerada até hoje uma das mais perfeitas espadas do mundo. O Samurai utilizava diversas armas, mas a katana era a arma que era sinônimo de samurai. O Bushido ensinava que a katana era a alma do Samurai. Eles acreditavam que a katana era tão valiosa que muitas vezes lhe davam um nome e a consideravam como parte de suas vidas.

Acredita-se que sua origem tenha sido a espada reta chinesa. Construída de forma artesanal, a katana sofreu diversas alterações ao longo da história do Japão, por isso seu nome varia de acordo com o período ao qual pertence: Jokoto, Koto (espada antiga), Shinto (espada nova) e Gendaito (espada moderna). Esta última é na verdade uma imitação da espada tradicional, usada hoje para cerimoniais, pois, apesar de ter a aparência de uma espada tradicional, não é fabricada artesanalmente. A katana hoje é um símbolo da cultura japonesa, um verdadeiro tesouro vivo, o que explica as leis que a protegem naquele país. Não é mais uma arma, mas um valioso objeto de arte que atrai pessoas do mundo inteiro e continuará a exercer o seu fascínio por muito tempo.

A katana é feita de duas ligas de aço, uma flexível no interior e outra rígida no exterior, num processo artesanal bastante complexo. A primeira liga é utilizada para que a lâmina não estilhace, vergando-se, e a segunda para conferir a força necessária para que a lâmina corte e defenda os golpes de outras armas. O aço japonês utilizado em sua fabricação é uma liga diferente do aço ocidental, muito difícil de fabricar. A fundição é feita em recipientes de argila e não em um forno convencional.

Os artesãos do passado consideravam a arte de fazer espadas uma disciplina espiritual, purificando sua mente, seu corpo e seu espírito, bem como seu local de trabalho (em um ritual que podia durar semanas) antes de iniciar uma nova espada, porque consideravam seu trabalho um ato religioso que dava vida à lâmina, tornando-a portadora da energia de seu criador. Por isso o mestre-espadeiro não fazia sexo, não bebia, não comia carne e afastava-se das pessoas comuns durante todo o processo para não contaminar a espada, do contrário tudo teria de ser feito novamente.

A katana tornou-se conhecida e respeitada porque era a arma tradicional dos samurais. Corta apenas de um lado e a lâmina é ligeiramente curva, resultado do seu processo de fabricação. Era usada tradicionalmente junto com a wakizashi (menor que a katana), sendo a katana utilizada em campo aberto enquanto a wakizashi era utilizada para lutar em pequenos espaços. O conjunto das duas armas chama-se daisho, literalmente "grande e pequeno", e somente um samurai poderia usá-las, representando sua honra e prestígio.

Com a mudança de alguns conceitos, principalmente relacionados com a finalidade prática da espada, instrutores de esgrima começaram a ressaltar a importância da busca espiritual como uma forma de aprimoramento pessoal. Assim a katana teria a função de dar a vida e não de tirá-la. O treinamento levaria o praticante a se conhecer e a aprender a viver em sociedade. Surgia o "caminho da espada" (Kendo) e as diversas artes marciais relacionadas a sua prática. 

Katana (em japonês: katana) é o sabre longo japonês. Surgida no Período Muromachi, era a arma padrão dos samurais e também dos ninjas para a prática do kenjutsu, a arte de manejar a espada. Tem gume apenas de um lado, e sua lâmina é ligeiramente curva. Era usada tradicionalmente pelos samurais, acompanhada da wakizashi (脇差). A katana era usado em campo aberto, enquanto a wakizashi servia para combate no interior de edifícios. Apesar dos samurais terem desenvolvido tradicionalmente a esgrima usando uma espada manejada pelas duas mãos juntas, existem estilos de kenjutsu que possuem técnicas com ambas as espadas ao mesmo tempo, como por exemplo o Tenshin Shoden Katori Shinto Ryu e o Niten Ichi Ryu de Miyamoto Musashi. Em sua obra, Gorin no Sho (O Livro dos Cinco Anéis), Musashi advoga o uso das duas espadas, dizendo ser "indigno do samurai morrer com uma espada ainda embainhada". O conjunto das duas armas chama-se daisho (大小), literalmente "grande e pequeno", e podia ser usado apenas pelos samurais, representando seu prestígio social e honra pessoal. A diferença entre a espada ninja (Ninja-to) e a katana samurai se dá na sua forma, sendo que a ninja tem forma reta e ponta também reta, tendo a lâmina não tão afiada (em razão da pratica do "doku no jutsu" - envenenamento), já a samurai possui uma leve curvatura e ponta semi-curva, muito bem afiada. Isso se dá a diferença de que o ninja carrega sua espada nas costas, portanto um corte vertical de cima para baixo, e o samurai levar sua espada na altura da cintura realizando um corte transversal de baixo para cima ou horizontal.
A espada Katana era muito mais do que uma arma para um samurai: era a extensão de seu corpo de sua mente. Forjadas em seus detalhes cuidadosamente, desde a ponta, até a curvatura da lâmina eram trabalhadas totalmente a mão. Assim, os samurais virtuosos e honrados faziam de sua espada uma filosofia de vida. Para o samurai, a espada não era apenas um instrumento de matar pessoas, mas sim uma forma de fazer a justiça e ajudar as pessoas. A espada ultrapassava seu sentido material; simbolicamente, era como um instrumento capaz de "cortar" as impurezas da mente.
Havia ainda um sabre pequeno, chamado tantô, que era utilizado não apenas para combates, mas também para o ritual do seppuku (suicídio ritual). A diferença básica entre as três era o tamanho, tendo a Katana um comprimento de 60 ~ 90 cm de lâmina (hamon); a Wakizashi entre 30 ~ 60 cm; e o tantô um comprimento de cerca de 30 cm. Cada espadachim escolhia as espadas de acordo com as suas preferências, tanto em termos de forja, quanto em termos de comprimento e curvatura da lâmina.
As medidas das espadas japonesas são referenciadas em shaku (equivalente a 30 cm). Qualquer lâmina menor que um shaku é considerada uma tanto; se o comprimento da lâmina for entre um e dois shaku então ela é considerada uma shoto (é a categoria da Wakizachi e Kodachi); se a lâmina possuir um comprimento maior que dois shaku, então ela é considerada uma Katana; e, ainda, se a lâmina tiver de quatro a cinco shaku, ela é considerada uma Masamune (Katana de três punhos)
Afora estes, existem muitas outras variantes de sabres japoneses.
Kenjutsu, Kendo, Iaidô e Iaijutsu são as artes marciais comumente associadas ao manejo da Katana.



2 comentários:

Gostei cara. Matéria interessante. dxD Continue com essas matérias e curiosidades. Abraço.

Tatsu Animes que propor uma parceria, qualquer coisa add: jhonata_lazaros@hotmail.com{MSN ou Email}

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...